INSIGHTS

Aqui você encontra um rico debate sobre assuntos ligados a gestão de risco, gestão de crise, gerenciamento de crises, crise nas redes sociais e cases de crises, no quais podemos aprender muito

| Por:

Entenda a importância do Plano de Continuidade de Negócios

No Brasil não existe uma cultura de prevenção ou o hábito de se planejar para situações inesperadas e emergenciais. Isso se reflete claramente no mundo dos negócios. Todos os dias vemos empresas passando por dificuldades financeiras ou por crises de imagem, porque foram impactadas de alguma forma por eventos que poderiam ter sido previstos e, talvez, evitados.

Mas o que é Plano de Continuidade de Negócios?

Seu princípio básico é a consciência de que fatores internos e externos podem provocar impactos e que, de uma hora para outra, tudo pode mudar.

Por isso, é necessário conhecer quais os processos mais importantes dentro do negócio, saber por quanto tempo ele pode ser interrompido, quais as rotas alternativas, o tempo que a empresa consegue trabalhar em contingência, quais as ferramentas e tecnologias serão necessárias para dar continuidade nos negócios.

A partir deste conhecimento prévio, é possível criar estratégias para evitar, lidar ou solucionar possíveis crises. O Plano de Continuidade de Negócios faz parte da gestão estratégica e vai no caminho oposto ao comportamento responsivo ao qual estamos acostumados. Lembre-se do sempre dizemos aqui: gestão de crise é estar preparado para lidar com a situação, seja ela qual for.

Como funciona o PCN?

O plano é construído por uma equipe formada com membros de diversas áreas da empresa com o objetivo de garantir o funcionamento dos serviços essenciais em momentos de crise até a normalização da situação.

O PCN conta com uma série de diretrizes que devem ser cumpridas durante a crise. Elas vão desde atividades básicas até a formação de porta-vozes que lidarão com a imprensa.

Qual é a estrutura do PCN?

Primeiramente, o plano deve conter a identificação dos setores essenciais que mantém os serviços principais e a partir daí criar estratégias que envolvem o treinamento de funcionários e automatização de processos.

O Plano de Continuidade de Negócios pode ser dividido em quatro partes, são elas:

Plano de Contingência

É o plano emergencial, aquele que deve ser usado apenas em último caso. Ele é acionado quando todas as outras alternativas já foram utilizadas sem sucesso.

Plano de Gerenciamento de Crise

Onde são definidas as atividades e responsabilidades das equipes que aplicarão os planos no momento de crise. Ele deve ser consultado antes, durante e após a crise.

Plano de Recuperação

Depois da crise é hora de analisar os dados gerados pelo momento de crise e elaborar uma estratégia para retornar aos níveis normais de operação dentro da empresa.

Plano de Continuidade Operacional

É o plano que diz como a empresa manterá seus serviços essenciais em uma situação extrema.

E qual é o papel do líder?

É papel do líder, do gestor e dos executivos da organização criar essa cultura de prevenção dentro da empresa. Incorporar essa metodologia no modo de gerir, educar a equipe para vivenciar essa estratégia de prevenção e capacitar os colaboradores para cumprirem as diretrizes é de responsabilidade de quem está à frente dos negócios.