INSIGHTS

Aqui você encontra um rico debate sobre assuntos ligados a gestão e gerenciamento de crises.

| Por:

Crise no Futebol: é necessário se preparar para um gerenciamento de crise

A crise do futebol atravessou as 4 linhas do campo e atingiu a entidade máxima do esporte, o berço da Seleção Brasileira e organizadora dos maiores torneiros nacionais: a CBF.

| Por:

Apagar ou não o post no momento de crise?

“Devo apagar o post ou ocultar quando falam mal da empresa ou do produto?” Eis uma questão que precisa ser entendida para responder esta pergunta tão complexa.

| Por:

Como fica a Gestão e Gerenciamento de Crise na era do Fake News

Como pensar em gestão e gerenciamento de crise na era do Fake News? Ao desenhar o plano de gestão de crise, um dos riscos que as organizações devem considerar é notícias falsas e rumores.

| Por:

Por que é tão difícil imaginar e se preparar para um desastre?

O ser humano é influenciado por uma variedade de fatores, como a experiência passada e o status econômico. Quando se trata de enfrentar os riscos de catástrofes em larga escala - seja a ameaça de guerra nuclear, um ataque terrorista, um furacão ou um incêndio - muitas pessoas têm dificuldade em imaginar (e de se preparar para) os piores cenários.

| Por:

Cases digitais: quando uma imagem gera crise de marca

Uma campanha mal planejada que traga a imagem de um produto ou serviço de forma equivocada pode se transformar em algo negativo e gerar uma crise de marca. E não pense que isso depende do tipo de negócio que você tem. Crise não escolhe hora, nem lugar. Quando ela vem, é fundamental que a empresa esteja preparada para lidar de forma assertiva.

| Por:

A importância de construir uma reputação institucional

Todas as empresas presentes no mercado estão sujeitas a vivenciar uma crise. Como vivemos na era da midiatização das marcas e dos indivíduos, as empresas devem saber que, além de vender produtos de qualidade, elas precisam se posicionar socialmente, muitas vezes sobre assuntos internos e externos da organização. Para comunicólogos e profissionais de crise, isso é um fato: o posicionamento não é mais um diferencial, é uma obrigação.